Uma revisão na manhã de: Aromaterapia clínica! Somente a química?

Ontem eu me sentei para ler um artigo sobre “Aromaterapia clínica”, que foi recentemente publicado na Revista Massagem, ( revista internacional ). Mais uma vez estou espantada com a forma como temos a transição de Holístico para Clínica  Médica, e como o “holístico”,  ainda  não é de alguma forma terapêutica ou de alguma forma, ainda o é sem propósito ou direção.
“Aromaterapia clínica se  define como: uma forma de aromaterapia que tem como alvo específico, resultado mensurável na clínica, tais como náusea diminuída ou inflamação acabada, e utiliza os componentes químicos encontrados em óleos essenciais para alcançar esse resultado “. A implicação aqui é que os componentes químicos, os conhecidos principais de óleos essenciais é o único responsável pela atividade terapêutica dos óleos essenciais. Não ouso perguntar: “por que não simplesmente usar compostos isolados, como 1,8 cineol, ou alfa-pineno ou acetato de linalila?” Como o faz a indústria famacêutica? A Aromaterapia se torna somente eficiente, por seus ativos isolados? Estamos nos resumindo a isto?Não me interpretem mal: Eu amo ser capaz de  falar alto e em bom ton “Ahhh, seu acetato, o éster de linalila e do álcool linalol são sedativos em óleos encontrados com estes ativos químicos, tais como na Lavanda, que lhe confere a sua qualidade sedativa ou o mentol e mentona da Hortelã Pimenta, que  apoio a aplicação, como um analgésico, ou timol  do Tomilho, que confere uma atividade antimicrobiana ou mesmo o carvacrol componente químico  do Orégano, suporta amplo espectro  da atividade antimicrobiana. “É divertido e com um grau bastante esclarecedor, que ouso usar e ministrar aulas, além de vender em minha marca, a By Samia., apenas porque amo estes óleos e sei de suas funções todas. Mas será que ficará somente a química? Acho muito importante estudar, para ter mais conhecimento, mas usar esta visão reducionista?



    
“Compreender a bioquímica dos constituintes da planta não é um requisito para compreender e utilizar as propiredades químicas dos óleos essenciais bem como a energética de ervas, mas ela ( a bioquímica destes óleos ) pode ser útil na obtenção de um sentido da complexidade dinâmica de uma erva e nos dar insights sobre a natureza subjacente de um medicamento específico.”
O que é potencialmente trágico sobre isso, porém, é que buscamos confirmar a validade de óleos essenciais unicamente através desses aspectos que foram confirmados por meio de documentação científica e nos esquecemos de abordar um óleo essencial como um todo, substância capaz não só de ações específicas com base em sua química, mas também sobre as ações específicas com base na respectiva unidade, como um todo, uma gestalt, e como uma coleção de produtos químicos e de energia extraída da planta. Podemos esquecer de envolver a inteligência inerente do óleo essencial para apoiar um indivíduo na cura e seu despertar para uma vida mais saudávele feliz!Ao pensar sobre tudo isso tirei minhas fichas originais de óleos essenciais a partir de quando eu era uma estudante,  há muitos anos. Eu sou grata, onde eu estudei num momento em que menos ênfase foi colocada sobre a química, pois permitiu-me a aceitar o que me foi ensinado e autorizou-me a explorar o impacto de qualquer óleo essencial dada com base na observação de:

 

 a – o óleo essencial em si  e por passar o tempo com ele estudando – o em suas ações somente
 b – a planta  através de minhas viagens
 c  – os “resultados observados” alcançado em clientes, e em minha família 
 d – uso pessoal e reflexão sobre o óleo essencialEu olho para a folha de dados da Bergamota (apenas a observar: mais de 20 anos atrás ). Onde nesta folha, ( de dados ) diz que Bergamota é útil no alívio de ansiedade, é edificante, útil para infecções da pele, anti-séptico, outros antifúngicos, calmante e outros usos. Somente isto!!E ao longo dos anos de prática, essas qualidades foram testemunhadas. No entanto, nos dias de hoje, eu poderia dizer bergamota é edificante potencialmente devido ao seu conteúdo de monoterpeno, antifúngica e útil para infecções de pele, porque eu tenho alguns documentos científicos que estudaram isso (por exemplo Atividade in vitro de Citrus bergamia (bergamota) óleo sobre isolados clínicos de dermatófitos por M. Sanguinetti, et al. publicada no Journal of Antimicrobial Chemotherapy (2007) 59, 305-308). 

 E poderia continuar a dizer que as suas ações sedativas ou calmantes são devidos à presença do álcool linalol,ne sedativa devido ao éster acetato, linalila, entre outros dados, onde hoje sou de certo modo, obrigada a provar, não por observações, mas por fichas técnicas de ativos isolados, não da planta como um todo.Então onde isso deixa-me? O que veio primeiro? A ciência ou a aprendizagem dos usos tradicionais de uma planta ou as observações e experiências de uso dos óleos essenciais e observando suas propriedades terapêuticas? Onde eu coloco minha ênfase? Apenas nos componentes químicos, dos quais apenas alguns têm sido estudados em relação ao número total que existe? Eu, negar meu próprio conhecimento e experiência, porque a ciência ainda tem que descobrir o que eu sei?Que outras maneiras existem na compreensão da natureza dos óleos essenciais? Há muitos ‘sistemas’ de cura, incluindo: Ayurveda, medicina tradicional chinesa e medicina tradicional / popular em si. Poderíamos começar a desenvolver um relacionamento e compreensão da energética de óleos essenciais, suas propriedades na medicina ayurvédica, seja ele, este óleo, frio / quente, pesado / leve, etc, oleoso / úmido ou seco. Podemos entender que cada óleo essencial tem sua energia, ou uma ação específica / inteligência que vai além de sua composição química.Pudemos ver que o papel biológico de óleos essenciais dentro das plantas é refletido em seus usos medicinais em seres humanos. Podemos expandir a nossa compreensão da importância do que Claude Bernard chama de “meio interior ‘. Poderíamos lembrar que a saúde e a cura são multifacetados e que a verdadeira saúde e  cura é a forma  de abordar várias áreas da vida,  o biopsicosocial, que nós estamos vivendo. Poderíamos utilizar as energias elementares da TCM, entre tantos outro sistemas. Nós poderíamos observar as plantas aromáticas e aprofundar a nossa relação com o seu óleo essencial pela observação, tocando e cheirando, de forma direta da planta, ou através de seus óleos ( como proponho em minhas aulas, onde coloco para os alunos um diário dos aromas, conhecer o que aquele aroma de um determinado óleo tem por característica ) por gosto, por estar com eles e permitindo-lhes expressar algo além de sua química para nós.Nós poderíamos usar qualquer e todos os itens acima, juntamente com a nossa compreensão da química de óleos essenciais para aprofundar nossa compreensão dos óleos essenciais sem colocar ênfase indevida em qualquer informação somente química,  mas sim, poderíamos mesclar os dois, enfâse na química e também na observação, e nossa intuição  para melhorar esta compreensão, no todo.

    “Se considerarmos constituintes facetas interligadas e cores sobrepostas que resultam na sinergia milagrosa e inteligência da planta matriz, somos então capazes de ver a utilidade de compreender as peças separadas, sem perder de vista o todo.” 
Esta foi minha revisão sobre o que considero importante, o uso dos óleos, mas sobre todas as formas de conhecimento, não somente na química destes, mas sim na união de conhecimentos, químicos, intuitos, energéticos e na observação destes.
Usar na Aromaterapia Clínica, sim! Mas entender que os óleos são milagres da natureza e sua complexidade, é mais, muito mais do que somente o estudo de seus componentes químicos.
Estudar muito sim, mas observar muito também.
Um bom dia para todos!
Um bom dia com aroma de Litsea Cubeba, meu óleo de hoje!
Sâmia Maluf


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s