Porque Usar Aromaterapia? 19 motivos para se beneficiar dos óleos essenciais.

Preparamos um texto longo para auxiliar melhor o entendimento da aromaterapia e do uso dos óleos essenciais, então veja o que você verá neste artigo:

 

Você verá neste artigo:

1. O Que É aromaterapia

2.O Que são Óleos Essenciais

3.A quanto Tempo São Utilizados os Óleos Essenciais

4.Como Agem com Óleos Essenciais?

5.Como Funciona o Tratamento de Aromaterapia

6. Benefícios da Aromaterapia

7.Possíveis Efeitos Colaterais da Aromaterapia

8. Cuidado ao usar óleos essenciais

9. Veja 19 Principais Motivos do Porque Utilizar Aromaterapia

 

1. O Que É Aromaterapia

A Aromaterapia, como o próprio nome indica (‘aroma’ significa cheiro agradável e ‘terapia’, tratamento), é uma técnica terapêutica, a ciência e também a arte que utiliza substâncias aromáticas naturais – os óleos essenciais, controladamente, para melhorar a saúde física, mental e emocional. A Aromaterapia utiliza diversas formas de aplicação (como massagens, banhos, inalações, entre outras) que auxiliam na cura dos sintomas e das causas.

A Aromaterapia trabalha o corpo de uma maneira natural e holística. Segundo a International Aromatherapy Association, é uma técnica de tratamento complementar, fazendo uso dos óleos essenciais 100% puros, cujas fontes vegetais foram cultivadas, colhidas e processadas de forma a preservar as substâncias químicas para auxiliar nos tratamentos de sintomas físicos, mentais, emocionais e do bem-estar geral. É reconhecida pela Organização Mundial da Saúde.

” A definição atual de Aromaterapia é a aceitação etimológica do termo, como tratamento preventivo ou curativo da doenças físicas e psicossomáticas pelos aromas. (Pag 74  La science des huilles essentielles médicinales  – Pierre Franchomme)”

BAIXE AGORA ESTE E-BOOK:

Porque Usar Aromaterapia 19 motivos para se beneficiar dos óleos essenciais-P.jpg

  1. O Que São Óleos Essenciais

purple petal flowers focus photograph
Foto por Pixabay em Pexels.com

São substâncias naturais, destiladas das essências que as plantas produzem pelo metabolismo secundário. Substâncias complexas, de poder volátil e fragrâncias variadas, de acordo com as plantas que as produzem.  Responsáveis pelos odores aromáticos que nelas encontramos. Estas substâncias podem ser encontradas nas flores, nas folhas, nos caules, nas hastes, nos pecíolos, nas cascas ou nas raízes. Produzidas por muitas plantas ao redor do mundo, especialmente pelas famílias botânicas das lauráceas, das mirtáceas, das labiadas, das rutáceas, das umbelíferas, dentre tantas outras famílias. São constituídas por centenas de substâncias diferentes (chamadas de ativos químicos), como moléculas de terpenos (mono, sesqui e diterpeno) e terpenóides (álcoois, ácidos, aldeídos, cetonas, lactonas, cumarinas, ésteres, fenóis, entre outros).

Normalmente, o óleo essencial  é extraído da essência que os vegetais superiores produzem, em seu metabolismo secundário, sendo da divisão  Fanerógamas. Dependendo de sua utilização, os óleos essenciais podem agir de diversas formas no organismo de quem se submete a tais tratamentos.

 

  1. Há Quanto Tempo São Utilizados os Óleos Essenciais

Há séculos, as plantas aromáticas e os óleos essenciais vêm sendo utilizados pelas mais variadas culturas. Essa afirmação pode ser facilmente comprovada pelos incensos, pelos perfumes, pelos cosméticos, pelos medicamentos e pelos temperos culinários utilizados pelos antigos.

É fácil constatar que o uso das plantas está ligado à origem da vida e da religião. O homem sempre utilizou espécies do reino vegetal para se alimentar, se medicar e em seus rituais religiosos e isto está explícito em achados arqueológicos, que demonstram o uso das plantas e o conhecimento que os antigos tinham de suas propriedades.

As ervas eram usadas de maneira empírica e os conhecimentos foram passados verbalmente pelas mulheres, de mãe para filha, ao longo de milhares de anos. O trabalho feminino com os cuidados da casa, a colheita das ervas e a geração e a manutenção da prole facilitou a transmissão do conhecimento e o aprimoramento de técnicas para a prevenção de doenças dentro do lar.

Esse conhecimento foi adquirido pela experimentação e, após tentativas, erros e acertos, os antigos aprenderam quais plantas eram ideais para alimentação, medicação e rituais religiosos. Eles sabiam que da natureza tudo se podia obter e, desta forma, se mantinham em contato com o sagrado até mesmo para enfrentar guerras e caçadas.

Os primeiros traços de uso de plantas aromáticas remontam há mais de 50.000 anos, com achados nas grutas de Shanidar, uma região do Kurdistão (região geo-cultural habitada pelos curdos, na atualidade, que se estende pela Turquia, pelo Iraque, pelo Irã e pela Síria), habitadas pelos Homos neanderthalensis, onde foram encontrados esqueletos envoltos em folhas e flores de jacinto, malva, entre outras plantas.

O uso curativo das plantas também foi registrado por pinturas feitas nas Cavernas de Lascaux, localizadas na França, e que datam de aproximadamente 18.000 anos. Já as ervas, utilizadas pela maioria das civilizações, são conhecidas há pelo menos 6.000 anos.

Na Europa, foram achados traços de carvão aromatizado com junípero, orégano, menta, entre outros aromas, que datam de 8.000 a 5.000 anos.

Os óleos essenciais fazem parte dos mais antigos métodos de cura. Foi constatado o uso dos óleos aromáticos no embalsamamento de múmias, datando de 6000 a.C. Próximo a algumas dessas múmias, havia vasilhas com folhas e plantas medicinais. Porém, os primeiros registros só apareceram por volta de 3000 a.C., quando foi criado o alfabeto sumério.

LEIA MAIS: O Início da Aromaterapia por Monsieur Gattefossé – pela queimadura

 

  1. Como Agem os Óleos Essenciais?

No campo das terapias holísticas, há o reconhecimento da importância da conexão entre mente, corpo e espírito. Como já dizia Platão: “A cura da parte não deveria ser tentada sem o tratamento do todo. Nenhuma tentativa deveria ser feita para curar o corpo sem a alma. E para que a cabeça e o corpo sejam saudáveis, deve-se começar a cura pela mente”.

A Aromaterapia já comprovou que os óleos essenciais atingem a mente e as emoções tão intensamente quanto o corpo físico. O olfato pode influenciar áreas do cérebro inacessíveis ao controle mental, bem como as emoções e as reações hormonais. Por isso, a aplicação dos óleos essenciais pode beneficiar, entre outros, os sistemas muscular e linfático, além do sistema nervoso. Quando aplicados sobre a pele ( por meio de aplicação via tópica ou massagens ), protegem a pele, desintoxicam o organismo,  e também regeneram o sistema tegumentar.

Os óleos essenciais são muito mais ativos sobre o nível energético, considerado o verdadeiro âmago da força vital, que, em escala mais ampla, é produto da natureza, da qual todos fazemos parte.

Desde a antiguidade, os monges budistas do Tibet contavam com os efeitos benéficos dos óleos essenciais para a saúde. Eles os usavam para ajudar nos tratamentos de problemas como a insônia e o estresse.

Na visão antroposófica, os óleos essenciais são produzidos pelo Eu Cósmico da planta, por isso eles também são indicados para o corpo astral.

Os óleos têm tanto a função alopática, devido a sua composição química e propriedades antissépticas e estimulantes, quanto a sutíl, já que atuam na mente de forma semelhante aos remédios homeopáticos e antroposóficos.

O olfato humano tem um importante papel no processo fisiológico. Sabemos dos poderosos efeitos que os aromas dos alimentos geram em nosso aparelho gastrointestinal. Um aroma pode causar poderosas reações físicas, além de reviver memórias. Nos recém-nascidos, por exemplo, o reconhecimento da mãe se dá por meio do próprio cheiro que ela exala.

Algumas pesquisas sugerem que por causa dos feromônios, há uma tendência, em grupos de mulheres que trabalham juntas, de menstruarem nas mesmas datas. Raramente as moléculas odoríferas dos feromônios, que são empregadas na comunicação entre indivíduos da mesma espécie, são detectadas conscientemente. Mas elas são registradas pelo sistema olfatório e provocam respostas comportamentais, como alarme, acasalamento, agregação e alimentação.

Outras pesquisas demonstram que ocorrem mudanças no cérebro durante o período de sono quando, no ambiente onde se dorme, são introduzidos aromas. Mesmo quando eles não são sentidos, devido à pequena quantidade empregada, os aromas processam mudanças cerebrais, provocadas pelas moléculas que são percebidas pelo sistema olfatório.

A absorção via respiratória dos compostos químicos dos óleos essenciais gera benefícios de duas formas. Primeiro, pela ação farmacológica, que ocasiona a absorção direta, que faz com que os compostos caiam na corrente sanguínea. Segundo, por absorção indireta, que provoca a percepção olfatória no sistema límbico.

Ainda que a composição do óleo essencial seja parcialmente sintética, os efeitos no sistema límbico serão parecidos. Mas, como existe uma ação farmacológica ligada diretamente à corrente sanguínea, o uso de um óleo não puro torna-se desaconselhável. Pela absorção direta, o organismo acaba recebendo quantidades significantes de impurezas químicas.

BAIXE AGORA ESTE E-BOOK:

Porque Usar Aromaterapia 19 motivos para se beneficiar dos óleos essenciais-P.jpg

  1. Como Funciona o Tratamento de Aromaterapia

Aromaterapia funciona através do sentido do olfato e absorção da pele usando produtos como:

Difusores;

Sprays aromáticos;

Inaladores;

Sais de banho;

Óleos corporais, cremes ou loções para massagem ou aplicação tópica;

Vapores faciais;

Compressas quentes e frias;

Máscaras de argila;

Você pode usá-los sozinho ou em qualquer combinação.

LEIA MAIS: Os diferentes tipos de massagem. Qual é a sua escolha?

 

  1. Benefícios da Aromaterapia

Estes são alguns dos benefícios da Aromaterapia

Controlar a dor

Melhorar a qualidade do sono

Reduzir o estresse, a agitação e a ansiedade

Reduzir dores de articulações

Tratar dores de cabeça e enxaquecas

Aliviar os efeitos colaterais da quimioterapia

Aliviar os desconfortos do trabalho

Combater bactérias, vírus ou fungos

Melhorar a digestão

Aumentar a imunidade

 

  1. Possíveis Efeitos Colaterais da Aromaterapia

Efeitos colaterais

A maioria dos óleos essenciais são seguros de usar. Mas há algumas precauções que você deve tomar ao usá-los, bem como efeitos colaterais que você deve estar ciente, especialmente se você tomar qualquer medicação prescrita.

Não aplique óleos essenciais diretamente na sua pele. Sempre use um óleo carreador ou creme neutro para diluir os óleos. Lembre-se de fazer um teste de contato antes de usar óleos essenciais.

Como os óleos essenciais cítricos podem tornar sua pele mais sensível ao sol, esses óleos devem ser evitados se você for exposto à luz solar.

Crianças e mulheres grávidas ou amamentando devem usar óleos essenciais com cuidado e sob a supervisão de um médico.

Durante o primeiro trimestre da gravidez, a aromaterapia pode representar um risco para o feto em desenvolvimento. As mulheres que estão amamentando devem evitar o óleo essencial de hortelã-pimenta, pois pode ser expresso no leite materno.

Óleos essenciais derivados de cítricos podem tornar a pele mais sensível à luz ultravioleta, aumentando o risco de queimaduras solares.

Alguns óleos podem afetar a função dos medicamentos convencionais, portanto, as pessoas que estão usando medicamentos de qualquer tipo devem primeiro consultar um farmacêutico ou médico qualificado.

Finalmente, ao armazenar óleos essenciais, é importante estar ciente de que luz, calor e oxigênio podem afetar a integridade do óleo. Os produtos devem vir de uma fonte respeitada e confiável, para ter certeza da qualidade. Seguir as instruções cuidadosamente reduz o risco de comprometer a saúde do usuário.

Em partes da Europa Ocidental, a aromaterapia é incorporada à medicina tradicional como uma terapia antisséptica, antiviral, antifúngica e antibacteriana. Nos Estados Unidos e no Canadá, isso é menos. Na França, alguns óleos essenciais são regulamentados como medicamentos prescritos e só podem ser administrados ou prescritos por um médico.

A aromaterapia pode ajudar a aliviar algumas condições, mas deve ser usada corretamente, sob a supervisão de um profissional qualificado. A NAHA pode aconselhar sobre aromaterapeutas na sua área, e alguns são membros de uma associação profissional, mas até agora não há conselhos de licenciamento para aromaterapeutas nos EUA.

Riscos

Cada óleo essencial tem sua própria composição química e razão de uso, por isso é importante falar com um aromaterapeuta treinado, enfermeira, médico, fisioterapeuta, massagista ou farmacêutico antes de aplicar ou usar um óleo para fins de tratamento.

Um profissional treinado pode recomendar e ensinar como usar cada produto, dando instruções adequadas sobre aplicação ou diluição.

Alguns produtos de beleza e uso doméstico, como loções, maquiagem e velas, contêm produtos que podem parecer óleos essenciais, mas são fragrâncias realmente sintéticas.

Como medicamentos, os óleos essenciais devem ser tratados com respeito. É importante procurar aconselhamento profissional e seguir as instruções cuidadosamente.

BAIXE AGORA ESTE E-BOOK:

Porque Usar Aromaterapia 19 motivos para se beneficiar dos óleos essenciais-P.jpg

  1. Cuidado ao usar óleos essenciais

Como os óleos essenciais causam reações no corpo, nem todos os óleos beneficiam a todos. Compostos químicos em óleos essenciais podem produzir efeitos adversos quando combinados com medicamentos. Eles podem reduzir a eficácia das drogas convencionais, ou podem exacerbar as condições de saúde do indivíduo.

Uma pessoa com pressão alta, por exemplo, deve evitar estimulantes, como alecrim. Alguns compostos, como erva-doce, anis e sálvia, agem de forma semelhante ao estrogênio, portanto, uma pessoa com um tumor de ovário ou de ovário dependente de estrogênio deve evitar isso.

Os produtos concentrados podem ser venenosos antes da diluição e devem ser manuseados com cuidado. Recomenda-se uma concentração máxima de 5 por cento.

Alguns óleos produzem toxinas que podem causar danos ao fígado, rins e sistema nervoso, especialmente se administrados internamente. A ingestão de óleos essenciais pode ser perigosa e fatal em alguns casos.

 

  1. Principais Motivos do Porque Utilizar Aromaterapia

1. Hoje em dia é muito fácil de usar e encontrar os óleos essenciais , depois da orientação do seu aromaterapeuta, em qualquer lugar do Mundo, você encontra uma loja de produtos naturais que vende óleos essenciais.

2. Você pode utilizar de diversas formas como aromatização do ambiente, aromatizador pessoal, massagens, banhos, escalda pés, roll on.

3. Para quem gosta de um “cheirinho” vai se encantar!!! Os óleos essenciais são demais, seus aromas, suas propriedades, as combinações que podemos fazer entre eles são únicas e abrem um Universo de saúde totalmente ligado a Natureza.

3. Porque é saudável – Aromaterapia nos proporciona tratamento com cosméticos compatíveis com nosso corpo, sem substâncias nocivas a saúde, a partir de matérias primas naturais ricas em princípios ativos eficientes.

4. Porque é acessível – Óleos essenciais são extremamente concentrados, e usam-se poucas gotas em um carreador para aplica-lo na pele, e poucas gotas em um aromatizador para aromatização do ambiente. Portanto o rendimento de uma embalagem é longo, tornando o custo-beneficio muito bom!

5. Porque atua rapidamente – Devido a compatibilidade com a pele no uso tópico o óleo essencial diluído em óleo vegetal rapidamente chega a corrente sanguínea e começa a agir de forma sistêmica, e na aromatização é captado pelo sistema límbico (em cerca de 3 segundos) que imediatamente promove reações ligadas a memórias, sensações de bem estar e etc.

6. Porque são versáteis – Cada óleo essencial tem cerca de 300 ativos químicos em sua composição (substâncias que a planta produz naturalmente para sua sobrevivência no meio em que está inserida), essa riqueza de ativos faz com que cada óleo tenha inúmeras propriedades, como exemplo temos a Hortelã Pimenta que é drenante, relaxante muscular, expectorante, induz o crescimento de cabelo, controla oleosidade, trata dores de cabeça, é tônica estomacal, entre inúmeras outras funções.

7. Porque é agradável – Os aromas, independente de função terapêutica, despertam memórias, muitas vezes memórias boas, fazendo com que as pessoas apreciem locais aromatizados. Com isso, mesmo sem conhecer a aromaterapia, muitas pessoas a utilizam e desfrutam dos benefícios, acreditando ser apenas um “cheirinho”.

8. Sendo hoje em dia uma terapia (antiga), que nos dias atuais possui uma série de comprovações cientificas, e não possui quase nenhum efeito colateral, além de ser muito mais barato, com efeitos imediatos.

9. Auxilia nos aspectos físicos, emocionais, mentais e energéticos, sendo uma terapia essencial nos dias atuais

10. Os óleos essenciais, quando usados no sistema tegumentar, auxiliam na estética.

11. Não tem contra indicação com nenhuma outra terapia, a não ser apenas dois óleos na homeopatia.

12. Uma terapia que além de tratar patologias médicas tais como gripes e refriados, e aumentar a imunidade por exemplo, quando usado no ambiente, também traz a sensação de memória afetiva e menos ansiedade além de tornar o ambiente mais aconchegante.

13. Se você sente que não tem uma boa noite de sono, e esta sempre cansado por conta disso, não se preocupe mais. Os óleos essenciais vão te ajudar a balancear sua agenda de descanso e a regular o seu ritmo cardíaco. Entre os melhores óleos para dormir bem estão: lavanda, manjerona, camomila, bergamota.

14. Qualquer um que já sentiu o cheiro de um bolo assando no forno conhece a forte influência que os aromas têm em como nos sentimos. Quando cheiramos algo, o nervo olfatório envia sinais diretamente para o sistema límbico e para a amígdala, partes do cérebro responsáveis pela nossa memória e humor. É por conta disso que certos aromas instantaneamente nos fazem sentir melhor ou relembrar uma memória favorita.

15. A convalescênça é um período durante o qual o paciente se recupera de uma doença e recobra pouco a pouco seu estado de saúde original. As propriedades dos óleos essenciais mantêm o corpo protegido durante esse período delicado, acelerando a recuperação.

16. A aromaterapia não só combate as dores de cabeça, como também as previne pois age de forma holística tratando não apenas o sintoma como também a causa desse problema, que pode por exemplo ser o estresse ou a ansiedade. Entre os melhores óleos para dor de cabeça estão inclusos: Hortelã Pimenta, eucalipto, sândalo, alecrim, lavanda e manjerona.

17. Melhora a saúde respiratória eliminando muco e reduzindo a inflamação dos pulmões. A aromaterapia é perfeita para pessoas com enfisema, asma e bronquite crônica.

18. Os tratamentos com aromaterapia também podem ser utilizados para melhorar a digestão. Os óleos cítricos são os mais famosos por resolver condições do aparelho digestivo, desde uma constipação até a azia. Esses óleos também são conhecidos por aumentar o metabolismo acelerando a digestão. Sugerimos testar os seguintes óleos: laranja, gengibre, lavanda, Hortelã Pimenta, limão, orégano e bergamota.

BAIXE AGORA ESTE E-BOOK:

Porque Usar Aromaterapia 19 motivos para se beneficiar dos óleos essenciais-P.jpg

rodape-blog-reciclo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s