Algumas particularidades sobre a produção do Óleo Essencial de Tea Tree pelo mundo

Procedência e Nomenclatura

A procedência dos TTO nem sempre é clara a partir de seu nome comum ou de suas fontes. Ele é conhecido por um número de sinônimos, como “óleo de melaleuca” e “ti tree óleo”, sendo este último um nome comum maori e samoano para plantas no gênero Cordyline 155. Weiss, E. A. 1997. Essential oil crops). CAB International, New York, N.Y.(. Até mesmo o termo “óleo de melaleuca” é potencialmente ambíguo, uma vez que vários óleos quimicamente distintos são destilados a partir de outras espécies de Melaleuca, como o óleo cCjepute (também cajeput ou cajaput). Cajuputi e óleo Niaouli de M. quinquenervia (muitas vezes confundidos com M. viridiflora). No entanto, o termo foi adotado pela Australian Therapeutic Goods Administration como o nome oficial para TTO. O uso de nomes de plantas comuns confunde ainda mais a questão. Na Austrália, “árvores de chá” são também conhecidas como “árvores paperbark”, e coletivamente estes termos podem se referir a espécie no Melaleuca ou Leptospermum,  gêneros, dos quais existem várias centenas. Por exemplo, nomes comuns para M. cajuputi incluem “pântano tea tree” e “paperbark árvore do chá”, enquanto os de M. quinquenervia incluem “folhas largas da árvore do chá” e “paperbark de folhas largas também”. Muitas espécies de Leptospermum são cultivadas como plantas ornamentais e são muitas vezes identificado erradamente como a fonte de TTO. Além disso, os óleos e Kanuka Manuka essencial, derivada das plantas da Nova Zelândia Ericoides Kunzea e Leptospermum Scoparium, respectivamente, são referidos como Nova Zelândia TTOs, embora sejam muito diferentes na composição de TTO australiano.
Como explicado acima, o padrão internacional para TTO não especifica quais as espécies de Melaleuca devem ser utilizaas para a produção de óleo. Em vez disso, estabelece os requisitos para um quimiotipo do óleo. Óleos que atendem aos requisitos da norma ter sido destilada a partir de diferentes M. alternifolia, incluindo M. dissitiflora, M. linariifolia e M. uncinata  espécies de Melaleuca. No entanto, na prática, TTO comercial é produzido a partir de M. alternifolia (Maiden e Betche). O gênero Melaleuca pertence à família Myrtaceae e contém cerca de 230 espécies, quase todas as quais são nativas da Austrália. Quando deixou a crescer naturalmente, a M. alternifolia cresce como uma árvore que alcança alturas de cerca de 5 a 8 metros. Árvores com mais de 3 anos normalmente em outubro tem as flôres, e em novembro,  as flores são produzidas de cor brancas à creme, com  picos terminais coloridos, que podem dar uma aparência bem bonitas as árvores “fofo”.

A produção comercial

A indústria TTO comercial nasceu depois que as propriedades medicinais do óleo foram relatados pela primeira vez por Penfold na década de 1920, como parte de uma pesquisa maior em óleos essenciais australianos com potencial econômico. Durante essa fase nascente, TTO foi produzido a partir de povoamentos naturais, pelos arbustos de plantas,  M. alternifolia, que produziram óleo com o quimiotipo apropriado. O habitat natural de M. alternifolia é de baixa altitude, terreno pantanoso, subtropical, costeira ao redor da Clarence e Richmond Rivers, no nordeste de Nova Gales do Sul e Sul de Queensland, e, ao contrário de várias outras espécies de Melaleuca, não ocorrem naturalmente fora Austrália. O material vegetal foi cortado à mão e muitas vezes destilado no local, em improvisados​​, móveis. A indústria continuou dessa forma por várias décadas. Diz a lenda que o óleo foi considerado tão importante por o seu usos medicinais, e os q soldados australianos tinham o óleo essencial fornecido, como parte de seus kits de militares durante a Segunda Guerra Mundial.  A produção diminuiu depois da Segunda Guerra Mundial, como a demanda para o óleo  diminuiu também, e provavelmente devido ao desenvolvimento de antibióticos eficazes e a imagem diminuindo de produtos naturais. O interesse pelo óleo foi reacendido na década de 1970, como parte do renascimento geral do interesse em produtos naturais. Plantios comerciais foram estabelecidos em 1970 e 1980, permitindo que a indústria se tornasse mais mecânica para  produzir grandes quantidades de um produto consistente.
Hoje há plantações na Austrália Ocidental, Queensland e Nova Gales do Sul, embora a maioria estão em Nova Gales do Sul em torno da região de Lismore. Normalmente, as plantações são estabelecidas a partir de mudas semeadas e criadas em estufas, antes de serem plantadas no campo em alta densidade. O tempo para a primeira colheita varia de 1 a 3 anos, dependendo do clima e da taxa de crescimento da planta. A colheita é por um processo de rebrota, em que toda a planta é cortada perto do nível do solo e quebrada em fragmentos menores antes da extração do óleo.

Extração do Óleo

TTO é produzido por destilação à vapor das folhas e ramos terminais da M. alternifolia. Uma vez condensado, o claro óleo amarelo pálido,  é separado do destilado aquoso. O rendimento do óleo é tipicamente de 1 a 2% do peso úmido da planta.

Texto Traduzido parcialmente :


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s