Sobre o Óleo de Limão Tahiti –

 

  1. HISTÓRIA
A lima ácida “Tahiti”, popularmente denominada de limão tahiti é um fruto de origem tropical de exploração econômica relativamente recente. Embora o centro de origem exato seja desconhecido, é provável que tenha sido disseminado através do Tahiti, por isto a sua denominação. No Brasil, o “tahiti” se destaca hoje como um dos frutos cítricos de maior importância comercial, estimando-se a área plantada em torno de 40 mil hectares. O Estado de São Paulo é o maior produtor brasileiro, com área superior a 30 mil hectares. A Bahia com 2.000 hectares é o terceiro produtor nacional, sendo superado pelo Rio de Janeiro.
A origem das frutas do gênero Citrus confunde-se, no tempo, com a historia do homem. Sabe-se apenas que a maior parte dos frutos cítricos é originaria de regiões perdidas entre a Índia e o sudeste do Himalaia, onde se encontram, ainda em estado silvestre, variedades de limeiras, cidreiras, limoeiros, pomeleiras, toranjeiras, laranjeiras amargas ou azedas, laranjeiras doces e de outros frutos ácidos.
A sua introdução no continente europeu está envolvida em um emaranhado de datas e fatos. Jorge Sintes afirma que as cidreiras já eram conhecidas pelos romanos antes do inicio da Era Cristã, e que, por sua vez, a laranja amarga e o limão foram, provavelmente trazidos para as margens do Mediterrâneo quando, um século depois, os romanos descobriram uma comunicação direta entre a Europa e as Índias Orientais, através do Mar Vermelho. Alguns autores antecipam essa data para os séculos VII e IX, creditando aos muçulmanos a introdução de todas essas frutas na Europa, no período em que estes ocuparam grandes extensões do continente.
Os limões são frutos de prodigiosas virtudes. Além de fonte poderosa de vitamina C, aos limões a medicina popular atribui vários poderes curativos, entre os quais o de atuar como antibiótico natural e como regulador das taxas de colesterol do organismo.
No Brasil, é costume dar o nome de limão ao grupo de frutas conhecidas como laranjas azedas, pelos botânicos, e como limas ácidas, pelos horticultores. Pertecem a este grupo tanto o limão tahiti como o limão galego, que são as variedades mais comumente produzidas e comercializadas.
  1. NOME CIENTÍFICO: Citrus aurantifolia ou citrus aurantifolia christman swingle.
  1. NOME COMUM (POPULAR): limão tahiti, limão, limoeiro, lima-ácida, lime.
  1. ASPECTOS BOTÂNICOS: Árvore de porte médio, atingindo 4 metros de altura, tronco reto, copa densa e arredondada. A folhagem é verde densa e a floração ocorre durante quase todo ano, principalmente nos meses de outubro e novembro. O limoeiro “Tahiti” é uma das espécies de citros de maior precocidade, apresentando, em geral, já a partir do 2º ano uma produção significativa. Na Região do Recôncavo Baiano, a produtividade de um pomar com quatro anos de idade é, dá em média, 300 frutos por planta ou o equivalente a 24 kg. Aos oito anos, a produtividade alcança 1200 frutos ou 96kg/planta.
Os frutos têm formato arredondado, com casca lisa ou ligeiramente rugosa e coloração verde; a polpa esbranquiçada e suculenta. A ausência de sementes é uma das características que faz o diferencial da espécie, destacando-a cada vez mais no comércio internacional. Os frutos verdes que não estão maduros são fontes mais ricas de óleo essencial. A espremedura manual ainda produz um óleo de melhor qualidade que os métodos mais recentes de destilação. Pertencente a família das Rutáceas.
  1. PARTE UTILIZADA: casca do fruto verde.
  1. TIPO DE EXTRAÇÃO: Prensagem a frio ou destilação.
  2. COMPOSIÇÃO QUÍMICA: alfa-pineno (3,0%); beta-pineno (18,20%); sabineno (3,20%), mirceno (1,20%); limoneno (30 a 50%); y-terpineno (7,4%); terpinoleno (0,5%); 1,0% de aldeidos saturados – octanal, nonanal, decanal, undecanal, dodecanal, tridecanal, tetradecanal, pentadecanal; trans-alfa-bergarteno (0,6%); cariofileno (0,5%); beta-bisaboleno (1,0%); 6,2% citral – neral e geranial, acetato de neril e acetato de geranil (0,5%), alfa-terpineol (0,3%) e traços de linalol.
8.     AÇÕES FARMACOLÓGICAS:
8.1  PROPRIEDADES: Adstringente, alcalinizante, antianémica, antibiótica, antidepressiva, antiemética, antiescorbútica, antiespasmodica, antiinflamatória, anti-séptica, antitérmica, bactericida, clareador da pele, depurativa, diurético, expectorante, refrescante, sedativa, tônico estomacal, vermífuga, cardiotônico, ajuda nas secreções pancreáticas, carminativo e antireumático.
8.2   MENTE:Estimula o resgate da alegria de viver, pois ativa a consciência e válvulas de escape dos estados de ansiedade, depressão e desânimo; dispersa e refresca confusões emocionais e dúvidas, melhora o foco da consciência e da busca de auto-conhecimento, clareando e elevando o intelecto, ativa as atitudes mentais de persistência e determinação.
8.3   CORPO: É indicado para aliviar todas as tensões da cabeça e mentais. É um extraordinário tônico para o sistema circulatório, liquefazendo o sangue e facilitando o fluxo sanguineo, aliviando, assim, a pressão nas varizes, ativa a circulação periférica sanguinea e linfática, tratando desde a celulite, até a temperatura das extremidades como da cabeça, mãos e pés. É um tônico eficaz para o coração, muito usado para baixar a pressão arterial em caso de hipertensão. Restaura a vitalidade das hemácias, amenizando condições de anemia. Ao mesmo tempo, estimula os leucócitos, revigorando, assim, o sistema imunológico e ajudando o organismo a combater doenças infecciosas.
Acredita-se que seja útil em casos de hemorragia nasal e controle a hemorragia externa de um modo geral. Sua natureza anti-séptica alivia as inflamações de garganta, tosses, resfriados e gripes, especialmente quando acompanhados de febre, pois ajuda a baixar a temperatura do corpo. Parece aliviar as dores em diversos tipos de herpes.
Melhora o funcionamento do sistema digestivo, combate a acidez no organismo e torna o estomago mais alcalino. Parece auxiliar a produção de secreções pancreáticas e tem sido usado para tratar o diabetes. Tem uma ação descongestionante sobre os rins e o fígado e uma ação purificadora sobre o organismo em geral. Pode ser útil nos tratamentos de prisão de ventre.
Trata ferroadas e picadas de insetos.
8.4  PELE: Dá brilho a feições pálidas e embotadas, removendo células cutâneas mortas. Suaviza vasos capilares rompidos e tem uma ação purificadora eficaz em peles e cabelos oleosos. É um remédio popular para remover calos e verrugas. Também tem efeito suavizante sobre o tecido de cicatrização e age como fortalecedor de unhas fracas. Muito usado em tratamentos para acne.
9.     OBSERVAÇÕES: – Precauções – quando usado externamente, não deve expor a pele ao sol, pois queima e provoca manchas escuras. Em aromaterapia é desaconselhada para quem tem pressão baixa, em doses elevadas é convulsivo, provoca tremores, delírio e vertigens.
9.1   NOTA: Alta.
9.2   PLANETA: Sol.
9.3   AROMA:Fragrância cítrica – refrescante e forte.
9.4   MISTURA-SE BEM COM: benjoim, cardamomo.camomila, eucalipto, erva-doce, olíbano,  gengibre, jinípero, lavanda, tília, néroli, rosa, sândalo e ylang-ylang.
9.5   EFEITO NOS DOSHAS: Diminui o Pitta e o Vata e não possui efeito sobre o Kapha.

2 comentários sobre “Sobre o Óleo de Limão Tahiti –

  1. Querida Samia, esse é o meu ÓLEO ESSENCIAL preferido. Utilizo no trabalho, em casa, no carro. Ele transmite uma energia de limpeza e é excelente para neutralizar cheiros desagradáveis. Desde que eu o conheci, minha vida ficou mais \”refrescante\”. Bjao e fique com Deus!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s